Por que eu sempre estou com fome?

A fome é uma sensação fisiológica que é sentida quando o corpo necessita de energia. Após comer comida suficiente, o ideal é vir a sensação de saciedade e a fome desaparecer; porém, algumas pessoas relatam que sentem fome a maior parte do tempo, mesmo depois de comer essa sensação não passa totalmente e o desejo de consumir algum alimento permanece ao longo do dia.

Neste artigo, nós listamos 7 motivos que explicam por que você está sempre com fome:

1. Alimentação rica em carboidratos simples:

Os carboidratos simples são aqueles encontrados no pão branco, no bolo, na bolacha, no macarrão, no chocolate, no refrigerante, e quando consumidos eles elevam rapidamente os níveis de açúcar no sangue. Porém, ao mesmo tempo que os níveis de açúcar sobem rápido eles também diminuem, porque o pâncreas aumenta a produção de insulina, hormônio que auxilia na absorção do açúcar pelas células e, com isso, normaliza os seus níveis sanguíneos de açúcar. No entanto, quando os níveis de açúcar no sangue diminuem, você já sente fome de novo, não ficando saciado por muito tempo, portanto, reduzir o consumo de carboidratos simples (açúcar, farinhas brancas, xarope, mel, massas, doces) vai controlar os seus níveis de açúcar no sangue, evitando picos, e reduzir a sua fome.

2. Alimentação pobre em proteína:

Comer mais proteína pode ajudar uma pessoa a sentir menos fome. A proteína demora mais tempo para ser digerida no organismo em comparação ao carboidrato. Ela fica um período maior no estômago, promovendo saciedade e reduzindo a fome; o ideal é tentar sempre comer algum alimento fonte de proteína em todas as refeições e lanches,  isto manterá o seu apetite estável ao longo do dia.

3. Baixo consumo de água (desidratação):

Às vezes você não está com fome, e sim com sede. Muitas pessoas têm dificuldade de tomar água ao longo do dia, ingerindo baixa quantidade ou passando o dia todo sem beber nem um copo; porém, a sensação de sede pode ser confundida com fome, levando ao consumo de alimentos sem a necessidade. Portanto, se você não tem o hábito de tomar 2L de água por dia, sempre que sentir fome, beba pelo menos um copo de água e espere alguns minutos (aproximadamente 20min), assim você vai conseguir diferenciar se era fome ou sede.

4. Estresse emocional:

Pesquisas mostram que pessoas que tem uma rotina mais estressante apresentam maiores níveis do hormônio grelina e uma alimentação de pior qualidade, pobre em nutrientes e fibras, do que aqueles que vivem em uma rotina menos estressante. Portanto, o estresse emocional frequente está relacionado a problemas no controle do apetite.

5. Sono desregulado:

Quando a pessoa não tem um sono contínuo e não dorme o suficiente, pelo menos 7h por noite, a produção de dois hormônios que atuam no controle da fome (leptina e grelina) fica desregulada.

Pesquisas descobriram que as pessoas que restringem o sono têm níveis mais alto de grelina, hormônio que estimula o apetite, do que aqueles que dormem normalmente, e com isso acabam sentindo mais fome e comendo mais ao longo do dia.

6. Adoçantes artificiais:

A indústria alimentícia costuma adicionar adoçantes artificiais a uma gama de produtos para substituir o açúcar ou diminuir a quantidade deste, principalmente em refrigerantes, chás, bolachas, doces, balas. No entanto, apesar destes contribuir para um menor consumo de açúcar, pesquisas sugerem que o consumo frequente de adoçantes artificiais leva ao aumento do apetite.

7. Bebidas alcóolicas:

Pesquisas sugerem que após o consumo de bebidas alcóolicas as pessoas tendem a ingerir mais calorias. Além disso, pelo fato do álcool desidratar e muitas pessoas não alternarem o consumo de bebidas alcóolicas com água, a sensação de sede que o álcool gera pode ser confundida com fome.

Portanto, é sempre importante não beber de barriga vazia e consumir água alternando com a bebida alcóolica.

*** Dica da Nutri Paula Machado