COMER POR AMOR OU ÓDIO ao seu corpo

Aaaah é bem provável que você conheça alguém que faz mil restrições ou come tudo “regradinho” por odiar o próprio corpo. Talvez esse mesmo alguém se frustre com esse corpo nos resultados com a balança e de tempos em tempos come tudo que vê pela frente, como uma punição.

Eu também já estive nessa situação, de comer por odiar meu corpo. Como seria bom se fosse fácil aprender a comer por amor ao corpo num passe de mágica. Acontece que é uma caminhada com altos e baixos.

Tem UMA coisa que eu gostaria de ter ouvido antes – VOCÊ NÃO É SEU CORPO. Isso mesmo. Seu valor não está no aspecto físico do seu corpo e sim na sua essência. Ter um corpo de uma forma ou de outra não muda esses valores. Ainda que esse corpo seja diferente do que você reconhece como beleza, ele não muda o seu valor.

Não é tão fácil internalizar isso pois a vida toda é mostrado que a felicidade, o sucesso, o valor como pessoa estão associados a um corpo que muda a cada época de acordo com os padrões. Por isso requer presença, consistência, constante atenção aos gatilhos externos. Pode acreditar, a paz de reconhecer vale cada segundo de reflexão e mergulho interno.

A partir do reconhecimento desse fator, que a caminhada de amar o corpo passa a ser mais fácil pois o corpo é colocado como um facilitador para viver sua essência e cuidar dele para que seja um corpo funcional começa a ser prazeroso. Se torna a manutenção do corpo que permite viver sua essência.

Esse corpo que tem vitalidade, energia, sono de qualidade. As escolhas ficam mais conscientes, são escolhas que potencializam o funcionamento desse corpo através do consumo de mais comida que vem direto da terra, como legumes, verduras, frutas, grãos…. coisas que você encontra por aqui!hehe

 

Coma por amor ao seu corpo.

 

Beijos mil

Karelin Cavallari