TUDO DE NOVO, trancados em casa.

Uma reflexão com a intensão de deixar a situação (um pouco) mais leve (ou menos pesada).

 

Passou um filme na cabeça quando vi o decreto de lockdown a partir de amanha (sábado dia 6 de março). Tudo de novo, com a sensação de que ontem parecia que ia melhorar, mas foi em outubro ou novembro essa sensação. É o tempo correndo.

E agora? talvez ai dentro também esteja acontecendo um turbilhão de sensações. Estou me apegando em uma que tem me ajudado, por isso vim trazer para você.

Os aprendizados de evolução na vida são como um espiral, se não aprende uma lição com uma situação, ela volta para ensinar. Nem sempre mais leve, algumas vezes (bem) mais intensa, como se dissesse “vê se aprende dessa vez”.

Então o primeiro convite é – para que estamos vivendo isso? O que cada um de nós como humanidade precisamos aprender para “passar de fase”? Talvez sejam aprendizados no macro, esse olhar para o todo como UM que somos. Talvez sejam aprendizados no micro, nas atitudes internas, na forma de lidar com a sua pequena bolha. Talvez (como eu já fiz) a primeira reação seja olhar para tudo que todas as outras pessoas estão fazendo ou deixando de fazer. Mas dificilmente conseguimos fazer alguém aprender uma lição. Conseguimos fazer a nossa parte. Mudando as nossas atitudes. Se cada pessoa fizer sua parte reconhecendo sermos parte de UM todo, já é ação importante.

O segundo convite é reconhecer que não somos mais os mesmos de março de 2020. É um caminho parte conhecido, algumas estratégias já foram testadas, algumas adaptações já foram feitas, meio que já sabemos como fazer. Você já sabe quais foram os pontos que não quer repetir, talvez comer mal ou deixar de fazer exercício. Apesar da canseira, saber como funciona pode ser uma forma de deixar mais leve. Se apegar a isso pode ser uma forma de deixar mais leve.

Lembra de comer comida fresca, lembra de movimentar o corpo, lembra de cuidar da mente se conectando da forma como for possível com pessoas amadas. Lembra de se se perguntar – para que estou aqui e agora? O que preciso aprender para estar vivendo isso?

É por saber que as emoções influenciam muito a forma de consumo, que influencia todo o funcionamento do seu corpo, inclusive o sistema imune. Por isso vim falar de emoções.

Sinta um abraço apertado, desses que dá um quentinho no coração.

Conte comigo!

 

Beijos e boa sexta!

Com amor, Karelin Cavallari